Quero Casar e não tenho dinheiro. O que fazer?


Imagem: Portal Uol

Um assunto que sempre me questionam muito é sobre o que fazer quando o desejo de casar é enorme, mas a família não dispõe de verba pra fazer festa.

Cada um tem suas razões, uns estão comprando a casa nova, outros estão construindo, alguns já moram junto e querem apenas oficializar a união, outros terão que morar fora por razões variadas e há aqueles que simplesmente acham desnecessário gastar tanto dinheiro em uma noite. O que não faltam são motivos e vontade de casar, mesmo sem grana  pra fazer a cerimônia e festa dos sonhos.

Infelizmente, a indústria do casamento há anos tomou proporções gigantescas, criando um estresse enorme nas famílias com um ou até dois anos de antecedência para o grande dia.
A maior parte dos casais e famílias acabam sonhando com eventos que entrarão para história, com mil e um tipos de lembranças, drinks e atrações. Só tem um detalhe que algumas famílias vem esquecendo: a importância real da celebração do matrimônio, seja celebrada por um religioso ou por um juiz de paz.

Escrevi tudo isso apenas para servir como um grande questionamento coletivo, o que importa pra você? Quem me escreve lamentando a falta de dinheiro e a grande vontade de casar deve se questionar sobre isso em primeiro lugar. E é o que eu tenho respondido. Se seu sonho é fazer uma grande festa e não há verba, adie o casamento e se prepare financeiramente para isso.


Para Poucos

Esqueça as enormes listas de convidados e enumere apenas as pessoas de seu convívio diário e família. Case no civil ou na Igreja, convidando apenas os padrinhos, os melhores amigos e pais e avós. Faça um almoço ou jantar logo em seguida, tire fotos, curta o momento.
Para quem faz questão do religioso, procure uma capela ou igreja bem pequenininha, assim seu custo será menor, especialmente com decoração. Depois da cerimônia, receba os convidados em um restaurante próximo ou em sua própria casa.
Caso deseje casar-se apenas no civil, case-se no próprio cartório e comemore em seguida.



Cumprimentos na Igreja

Se a sua lista não consegue ficar pequena, faça a cerimônia na Igreja e informe no convite que os noivos receberão os cumprimentos na própria Igreja e despedem-se ali. Após a cerimônia, monta-se uma fila para que os convidados cumprimentem os noivos e podem ser distribuídos bem-casados ou chocolates aos convidados. É um gesto delicado em agradecimento a quem foi na Igreja prestigiar a união.

O Casamento da Ana Clara e do Natan foi assim, veja clicando aqui.

Elopement Wedding

Em alta desde 2016, pode ser classificado como uma mistura entre micro wedding e destination wedding. Os noivos viajam para algum local dentro ou fora do país, para se casarem sozinhos ou na presença de pouquíssimos convidados. Essa é a solução perfeita para casais que não querem gastar com festa, mas sim com uma viagem inesquecível. Casam-se, têm fotos lindas e já emendam na lua de mel.
Veja um post completo sobre isso clicando aqui.

Adesão

Um última sugestão, que eu pessoalmente não gosto muito, mas que tem sido praticada é o almoço / jantar por adesão. Cada convidado arca com seu custo em um restaurante pré-definido pelos noivos. No convite deverá vir a informação de que o almoço ou jantar será por adesão. Ou pode-se fazer o convite como no caso anterior, informando que casal irá se despedir na igreja e avisar informalmente aos convidados qual é o combinado para depois da cerimônia, sempre deixando claro que cada um pagará a sua conta.

Nenhum comentário