Elopement Wedding - Como organizar



Para muitas noivas o mais importante da celebração do casamento é, além das memórias e de todo o amor envolvido, as fotos que ficarão. Já pensou então em se casar em um cenário paradísiaco, rodeada apenas das pessoas mais especiais e gastando bem menos que em uma festa tradicional? É, isso existe, e chama-se Elopement Wedding, "casamento a dois" ou ainda "casamento secreto". Esse tipo de casamento nada mais é que uma mistura entre o micro wedding (casamento para pouquíssimos convidados) e o destination wedding (que ocorre quando o casal decide celebrar a união em outra cidade ou país).
Pensar em um elopement wedding, em tempos de crise, vale muito a pena. Além do romantismo que cerca todo o ritual, há muita economia envolvida e a lua de mel já está garantida!

Como organizar então um casamento nesse estilo?

Em primeiro lugar, é preciso avaliar o quanto pretende-se gastar, para decidir o destino.
Nesse momento, é importante avaliar também quantas pessoas vocês desejam que estejam presentes, se somente o casal e os profissionais necessários ou se vão querer que algumas pessoas próximas participem também.
Após a escolha do local, é sempre bom buscar uma assessoria ou cerimonial próximo da localidade para lhes auxiliar na escolha dos fornecedores. Para ter um resultado de fotos lindas, vocês precisarão de um bom fotógrafo e se o lugar não for deslumbrante por natureza ou precisar de algum toque a mais, vocês vão precisar de uma decoração. Pode ou não haver um celebrante para conduzir a cerimônia, vai depender muito de como vocês imaginam esse momento especial.
E a comemoração depois pode ou não conter um bolo e espumante para o brinde e as clássicas fotos do casal.

E o elopement wedding tem valor legal?

O elopement wedding pode ter sim valor legal, mas vai depender do local onde for realizado. Se for em outro país, é necessário que se cheque antecipadamente se casamentos celebrados naquela localidade são reconhecidos no Brasil. Se for em território nacional, tem validade se for celebrado por um juiz de paz (casamento em diligência) ou por algum dirigente religioso habilitado para celebrar casamentos (casamento religioso com efeito civil).
Outra possibilidade é realizar o casamento informalmente, somente com a troca de votos (sem celebrante, ou com celebração simbólica feita por um amigo) e posteriormente oficializar o casamento no cartório.

Onde realizar a cerimônia?

São inúmeras as possibilidades! Desde praias desertas, florestas, cachoeiras a pequenas capelas espalhadas por esse mundo a fora. Hotéis também são boas opções e muitos já têm pacotes nesse estilo. A internet abre muitas portas nesse sentido. O mais importante é que seja um local com privacidade, para que o momento não perca o encanto por conta de intrusos. É importante também tomar cuidado com a escolha da data x local, para não ser pego de surpresa com mau-tempo. Caso sua opção seja por um local aberto, é sempre bom pensar em um plano B para o caso de chover justamente no dia.

Vamos às inspirações?

Em primeiro lugar, Luciana e Pedro, que se  casaram em Noronha. Sem festa, sem celebrante, somente eles, o mar, os votos e o Diego Telles, que fez um lindo e apaixonante trabalho de captura de imagens e de edição:



Outro trabalho lindo do Diego Telles: Camila e Max, em Nova York!



Outra inspiração, Tati e Paulo, que casaram-se em um lindo campo, em Brasília, cercados de pessoas especiais e sendo a imrã da noiva a celebrante. As imagens e edição são do Bruno Zakarewicz.



E por fim, as fotos incríveis desse casamento em Mykonos ( a primeira foto do post também é deste casamento). O registro é do fotógrafo Thanasis Kaiafas.
















Nenhum comentário