Priscila e Yuri - Primeira Parte - Preparativos e Casamento no Cartório

quarta-feira, 25 de setembro de 2013


Talvez esse deva ser o relato mais longo de toda história do blog, isso porque a Priscila conseguiu ser a noiva mais atípica de todas.
Por isso o dividi em duas partes. Hoje vocês verão boa parte dos preparativos e o casamento do cartório. Depois o restante dos detalhes e a cerimônia religiosa e festa.

Pra começar, ela é minha amiga. E sabe como é trabalhar com amigo, né? A coisa fica bem mais informal.. heheheh
A primeira vez que ela falou em casamento comigo, foi quando tomou a decisão de morar fora, em Nova York, para acompanhar o Yuri. Naquele momento eles namoravam à distância e a vida não tava fácil...

Custos colocados no papel, o desejo de se casar logo foi adiado. Organizamos então apenas uma festa de despedida. Um chá de lingerie super divertido, com aula de Pole Dance e Chair Dance para as amigas mais próximas da Pri. Foi um sucesso. (quem quiser ver como foi, basta clicar aqui)

A Priscila foi pra Nova York e meses depois o assunto do casamento ressurgiu. Naquele momento, mesmo à distância, ela e a mãe haviam decidido o local e me foi comunicado então que a festa seria de dia, no Bistrô Ouvidor, para 100 convidados.
Inicialmente a intenção era fazer a cerimônia no local, mas não precisava ser nenhum profundo conhecedor do espaço para saber que não daria certo por conta de espaço.
Começamos então uma saga pra localizar ou outro local ou uma Igreja para a cerimônia.
Acabamos optando pela Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores, que fica bem ali na Ouvidor e é uma graça. Pequena, confortável e super perto, perfeita para o que queríamos.
Lá fui eu pessoalmente fechar a Igreja.

Igreja decidida, as coisas começaram a tomar um rumo. Aos poucos, todos os fornecedores foram sendo escolhidos e fechados, mesmo à distância.
Em abril a Priscila chegou ao Brasil e intensificamos os preparativos.
Aí começa a minha real aventura...

Pra começar, acabei virando testemunha do casamento civil, porque meus documentos estavam mais à mão para dar entrada no processo do que o de um dos padrinhos.
Obviamente que houve uma boa dose de tensão nesta etapa. Normalmente damos entrada no processo com 90 dias de antecedência, mas a esta altura, só tínhamos 60 para a data já marcada na Igreja. Vale ressaltar que o noivo ainda estava em Nova York e a entrada no processo teve que ser via procuração.
Chegamos no cartório e quem disse que queriam aceitar a procuração?
Enfim, depois de um leve drama saímos de lá já praticamente fazendo uma novena para que a papelada não caísse em exigência.

De tempos em tempos, eu cobrava a Priscila do curso de noivos. Todo mundo que vai casar na Igreja Católica precisa passar por isso... Mas tínhamos um problema: o noivo só chegaria duas semanas antes do casamento aqui e, como se sabe, neste curso os dois devem estar presentes. Bom, a Priscila conseguiu achar um curso em um domingo, bem próximo do casamento, e o pessoal da Igreja topou receber a papelada bem em cima. Estava tudo ok até então...
Faltando poucas semanas pro casamento, pergunto, quase que retoricamente, para a querida noiva, se a papelada do religioso estava ok (para quem não sabe, são processos distintos e eles correm separadamente), ao que ela me responde naturalmente: ih, esqueci.
Juro, quis enforcá-la.

No dia seguinte, lá fomos nós pra Igreja pra dar entrada nos papéis. A Igreja em que se inicia o processo deve ser perto da residência dos noivos. Pegamos tanto trânsito que achei que não fôssemos chegar a tempo de pegar a secretaria aberta. Mas conseguimos...
Deixei a Priscila lá e fui embora, crente que estava tudo resolvido.
Não estava.
Na manhã seguinte fui saber que a Igreja para dar entrada era outra, mas ela conseguiu resolver a tempo.

Vocês pensam que acabou o sufoco, né? Não.. não acabou..
Certo dia estávamos no carro, voltando de algum local, que não me recordo, ela saca o telefone e começa uma conversa. Juro, prestei atenção sem querer, e quando me dei conta de que ela estava implorando por uma vaga no curso de noivos (aquele que ela havia descoberto antes), porque as inscrições estavam encerradas, eu quase infartei. Ela havia esquecido de ligar antes...

Lá fomos nós pra tal Igreja pra fazer a inscrição no curso e ela me fez ficar dando voltas de carro no Pechincha (naquele trânsito bom das 18h) porque jurava que a Igreja era em um local, enquanto eu tinha certeza de que era em outro. Advinha quem estava certa? Eu, né? hehehehehe

Bom, faltando duas semanas para o casamento as coisas estavam engrenadas, enfim. A papelada do cartório e da Igreja estavam 100%. Ufa!
Yuri no Brasil, aproveitaram então pra casar logo no cartório, pra adiantar as coisas.

Casar no cartório implica em ter uma roupa especial,correto? Pois é.. fomos para o shopping atrás de um vestido. Andamos, andamos, andamos e, quando ela finalmente achou o vestido ideal, fez um doce gigantesco pra comprar, ameaçou voltar no dia seguinte. E eu quase chorando (e cansada admito), juntamente com a vendedora, conseguimos convencê-la a comprar a tal peça.

O dia do cartório chegou. Lá fomos nós. Eu na função amiga-cerimonialista-testemunha, os pais, a Vanessa, que era a outra testemunha-madrinha-chefe-e-amiga e o fotógrafo. A cerimônia foi fofa e eles agora estavam enfim casados. Vencida a etapa 1.

Fiquem com as fotos do casamento no cartório, clicadas pelo Wagner e pela Vanessa. Teve até chuva de arroz e ensaio:







Eu na função testemunha... hehehe






Chuva de arroz, providenciada pela mãe da noiva



Aguardem, em breve vem a segunda parte.. :)))

Read more...

Patrícia & Rodrigo - Maio de 2013 - Casamento Budista

segunda-feira, 16 de setembro de 2013


Eu nunca tinha feito um casamento budista e a minha primeira vez foi em grande estilo.
Conheci a Patrícia em uma reunião informal na casa dela, ela me contou que já morava com o Rodrigo, que já tinham um filho lindo, que já eram uma família muito feliz, mas que queriam oficializar a união. Para isso, queria organizar seu casamento em poucos meses e que a cerimônia fosse em casa.
Fomos dar um passeio pela área externa da casa e de cara me apaixonei por uma nascente dentro da propriedade. Pronto, estava definido o local da cerimônia.
Dali em diante, os preparativos fluiram facilmente. A Patrícia é uma noiva doce, bem-humorada e super alegre.
A família deles de fato é linda e além do filho mega fofo, o Diogo, eles têm a "Bubu", filha do primeiro casamento do Rodrigo, e grande incentivadora da comemoração.
A decoração foi feita pela Mônica, que foi indicação de uma amiga deles. Todo o projeto foi baseado em aproveitar ao máximo a vegetação do local e manter um clima informal, com pequenos toques orientais.
Um grande toldo foi instalado para acomodar a cerimônia e depois os lounges. A mesa de doces e o bolo ficaram na própria sala da casa do casal. Boa parte do mobiliário e peças de família foram aproveitados na composição. O que deu um ar bem informal e com a cara que eles queriam: "estamos recebendo em casa".
A festa foi animadíssma, com horas extras, pista lotada e muito, muito amor... :D

Amei ter participado desta comemoração!

Patrícia, Rodrigo, Diogo e Bubu, que vocês continuem com esta energia maravilhosa e muito felizes para sempre!!!
















Veja mais fotos no blog da querida Kelly Fontes, que fotografou este casamento: http://www.kellyfontes.com.br/fotos-casamento-budista-rj-patricia-e-rodrigo/

Quer um casamento lindo assim? Fale comigo: contato@casamentopratico.com

Read more...

Casamento Prático - Cerimonial do Dia | Cerimonialista | Mini Weddings | Rio de Janeiro Copyright © 2011-2017 - Todos os Direitos Reservados